Feliz Natal aos cristãos

Cesar Mangolin

Escrevo hoje para desejar aos companheiros (as) cristãos um feliz natal.
Fui cristão um dia, por não muito tempo. Tenho críticas diversas sobre o cristianismo e o papel que tem cumprido pelos séculos no auxílio à opressão e exploração dos trabalhadores, exatamente aqueles pequeninos que o seu mestre alertava que tudo que fosse feito a eles era a ele que se fazia. Discordo da venda de ilusões, do comércio da fé, da individualização constante, da carneirização do povo, do discurso moralista que despreza a vida.
Dias atrás escrevi um texto colocado aqui, num tom satírico, que tratava de uma pregação de uma seguidora de alguma dessas igrejas que prometem a salvação em troca de dinheiro e de submissão total às idiotices de algum pastor. Se é que havia alguma intenção no texto, ela era apenas a de ridicularizar a situação e este aspecto nocivo do cristianismo e da forma como ele vem se adaptando às mudanças da sociedade burguesa. Qual camaleão milenar, ninguém deve discordar de que o cristianismo, desde que se romanizou, se ajusta de maneira formidável aos interesses das classes dominantes e expressa, como dogmas de fé, valores sobre os quais se justificam as mazelas vividas pelos mais pobres.
A reação ao texto foi curiosa. Recebi umas poucas mensagens pelo blog mesmo (e todas foram aceitas), divididas entre os que me arrebentaram pelo texto e por outros que entenderam seu sentido e souberam rir e refletir sobre alguns elementos que, despretensiosamente, estavam anunciados ali, mais do que desenvolvidos.
Aliás, esses textos postados no blog não têm pretensão de debater os temas com rigor teórico. Para estes últimos reservo uma página onde humildemente submeto à crítica alguns artigos que escrevo. Porém, fico feliz de ver que os textos do blog, como este, são mais lidos que os outros.
Recebi também muitas mensagens por e-mail, algumas até ofensivas. Faz parte da vida. Ri de muitas delas, me aborreci com outras, respondi algumas que valiam a pena. A intolerância jamais nos levou a resultados razoáveis e, perdoem-me amigos cristãos, os que têm fé em qualquer uma das religiões monoteístas são de uma intolerância que beira a animosidade e a burrice. Isso serve para cristãos, muçulmanos e judeus, particularmente.
Minha mensagem por ocasião dessa data importante para os cristãos pelo mundo afora tem, portanto, inicialmente esse desejo de que a intolerância, que não fazia parte da mensagem de Jesus, seja pensada e superada e que tomem seu lugar os mais valiosos ensinamentos da universalidade crítica, que é também política, e que levaram o próprio Cristo a ser executado como preso político que foi.

Conheci cristãos e histórias de cristãos que levaram isso à radicalidade e muitos deles tiveram o mesmo fim do mestre. Lembro aqui dos que defenderam a vida (e a vida em abundância!), nas figuras de Camilo Torres, do heróico povo de El Salvador e de Romero, dos que tombaram pela América Latina, por vezes com armas nas mãos, não porque defendiam a violência pura e simples, mas porque não havia outro recurso para a defesa da vida.
Esse ato extremo é uma prova de amor, do amor mais puro e desinteressado, que sabe do risco da morte que é, ao mesmo tempo, o risco da vida melhor e mais justa. “Ousar lutar, ousar vencer”, dizia Mao Tse Tung. Ousar colocar a vida em risco era também ousar construir um mundo melhor, sem violência, sem miséria, sem injustiça.

Talvez ser cristão é agir como Jesus, como nos é apresentado pelos evangelhos. Estava com os mais pobres e não fechava as portas aos demais, desde que se convertessem, ou seja, desde que deixassem de oprimir e explorar os pequeninos. Os doentes e deficientes, tratados como amaldiçoados por deus pelos judeus, eram curados. Isso nos ensina que Jesus libertava os marginalizados e demonstrava que deus não era o responsável por sua situação física e social. Ele andava com os que precisavam dele, com os que pecam. Não fundou um grupo seleto de puritanos santos que desviam o olhar e o caminho dos que vivem de outra forma.

Sua vinda para que todos tenham vida, e vida em abundância, significa alegria, mas também dá o sinal de uma vida material que dê a todos condições mínimas de conforto e alimentação. O reino não é prêmio de uma vida de privação: é construção diária e envolve, necessariamente, justiça social. Ao ver os famintos, Jesus dividiu os poucos pães e peixes que tinha, não disse que a fome e a miséria daquele povo seriam recompensadas após a morte.

Talvez ser cristão seja, principalmente, viver como os discípulos de Emaús: não foram convencidos por promessas esquisitas de algum pregador esquizofrênico; não compraram um pedaço do céu e aguardaram, como carneiros, a morte para tentar viver bem; não desprezaram os que não faziam parte de sua fé; eles apenas perceberam que na partilha do pão com o próximo e o desconhecido estava a essência e razão de sua fé, apesar da morte de seu mestre e da confusão e perseguição que sofriam.

Não é necessário pertencer a alguma igreja para que isso ocorra. Nem mesmo ser cristão. Conheço ateus e outros que vivem isso. Tenho certeza que havendo deus (ou deuses) ele pouco se importa em ser chamado de trindade, javé, alá, olorum ou qualquer coisa que seja. Mais vale como se vive e a sinceridade dos atos, mais do que as formalidades e os códigos morais.

O mundo seria mais feliz se caminhássemos assim.

Anúncios

7 comentários sobre “Feliz Natal aos cristãos

  1. Feliz natal tbm professor e como ateu e ex cristão nao posso deixar de lembrar que natal nao tem nada a ver com Jesus….Jesus nem nasceu em dezembro (pois nesta data a palestina esta invernando com geadas impossibilitante nascimentos em manjedouras ao relento). O Natal é comemorado em dezembro pq é quando o povo esta com o 13º no bolso e assim pode torrar tudo em bugigangas, se endividando e perpetuando-se assim em sua condição de trabalhador miseravel.
    Obs: Tem a parada tbm de Mitra, antigo deus romano e os festejos do solstício incorporado a fé judaica por Valerius Constantino, mas deixa pra lá.

    NATAL É UMA IDEOLOGIA, SERVE PARA CONTROLAR E DOMINAR AS MASSAS REPRODUZINDO AS DESGRAÇAS….

  2. Olá Cesar,
    Não apenas recebo o “feliz natal” que enviou aos cristãos, ainda que os ‘religiosos’ pretensiosamente também assim se nominam. Mas quero deixar claro que o ‘cristão’ que vejo em mim nada mais é do que a semelhança do Jesus histórico, justo, humano, destemido, sem barganhas, protetor e defensor da vida, que você mesmo descreve como o vê.
    Nesse contexto vejo você, tal qual a mim, conscientemente cristão, enquanto agimos como tal.

    na outra oportunidade, pedi que você comentasse algumas falas e textos de http://www.caiofabio.net
    pois compartilho da mesma ideologia e é tudo de diferente do que esta por aí no meio religioso.

    Por favor queira comentar alguma coisa sobre o que cremos e falamos sobre Jesus, cristianismo, consciência cristã, etc.

    Gostei muito da sua mensagem e estou postando em nosso fecebook.

    Abraço.
    Enoc Moura-Guarulhos
    9838-0320

  3. Lindo, professor! Lindo!!! Quase fiquei de pé na frente do computador para lhe aplaudir!!! Tudo isso é tão simples, tão óbvio… Deveria ser o natural… Pena que a obra deu merda! Com certeza o mundo seria muito mais feliz se caminhássemos assim. Eu tento, juro que me esforço para ser melhor a cada dia, melhor como filha, como amiga, como humana… Mas como parte da obra de merda, nem sempre consigo obter o êxito total, as vezes sequer o parcial… Muitas vezes eu até me esforço para ir bem mal!!! Porém não me julgo ovelha fiel nem desgarrada… Acho que o importante é a própria caminhada. O aprendizado, a evolução. Fraquejo mas nunca desisto!!! Creio que esta é a intenção… Parte da razão, em fim… Não me defino em uma religião. Não me limito. Fico sempre à espera de soluções, sempre busca de sugestões…

    Gosto muito do seu trabalho professor!Seus textos, suas idéias sempre iluminam bastante a minha mente de carneiro…. Obrigada por compartilhar!!! Boas festas…

  4. Olá, Professor!
    Sou evangélica há mais de 15 anos! Concordo com a maioria de suas críticas sobre o comportamento de vários religiosos desde o inicio da igreja até hoje. Muitas aberrações aconteceram, muitas acontecem e acredito que é bem provavel que continuem. Porque a maioria das pessoas vão a igreja buscando alterações sociais em suas vidas, principalmente alterações de cunho financeiro.
    Mas, esta não é a proposta do evangelho, Jesus não se comprometeu a fazer nenhuma revolução social, como muitos dos religiosos da epoca esperavam que o Messias fizesse, inclusive Judas Iscariotes, conjecturam alguns estudiosos.
    A proposta do evangelho é espiritual, ou seja, alterações internas, que mudam nosso carater, e mais uma vez concordo devemos ser imitadores do carater de Cristo, mas isso sim é um milagre maior do o “milagre” de se conseguir um carro novo ou similar.
    Nestes poucos anos tentando aprender e praticar o evangelho, já vi muitos milagres, vi pessoas dividirem seus pães e peixes com outras pessoas, vi outros serem livres de vicios que destruiam suas próprias famílias, vi moradores de rua serem adotados como parte de familias e terem oportunidade de recomeçar, vi casamentos serem salvos da tendencia mundial do divórcio…
    Estas situações mencionadas são consequencias das mudanças verdadeiramente propostas pelo evangelho, que acontecem internamente em cada individuo que se deixa transformar.
    Esta moeda tem mais um lado, professor, procure descobrir…

    1. Renata vc por acaso ja viu algum amputado ser curado, alguma criança com sindrome de daw ser curada, ou ate mesmo alguma cárie dentária ser curada? O grande problema da religiao é isso, ilude as pessoas como o ópio.

  5. Parabéns mais uma vez pelo artigo maravilhoso. Como o professor sabe, sou cristão (o calvinista rssss.), única e exclusivamente pela convicção em Cristo e seus ensinamentos, se fosse pelos (maus) exemplos dos “cristãos” eu já teria apostatado da fé há muito.
    Saudações!
    “Paz na Terra aos homens de boa vontade, a quem Ele quer bem.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s